Pronto Socorro

 

A Emergência Pediátrica

O Pronto-socorro do HCM oferece atendimento de urgência e emergência 24 horas para pacientes com menos de 12 anos.

Atuam em regime de plantão pediatras clínicos e profissionais de diversas especialidades médicas em regime de sobreaviso.

Classificação de risco
Para definir a ordem de atendimento, é utilizado o Protocolo de Manchester, que classifica o risco do paciente, priorizando os casos mais graves.

Este serviço é realizado por um enfermeiro que faz a avaliação e prioriza o atendimento.

*Horário de funcionamento Classificação de Risco: segunda a sexta-feira, das 07h30min às 22h

A Emergência Obstétrica

O Serviço de Emergência Obstétrica e Ginecológica funciona 24 horas. 
É composto por equipe multidisciplinar especializada em atendimento de urgência e emergência.

 

Alguns sintomas não podem esperar

Durante a pandemia do novo coronavírus, muitas famílias estão evitando ir ao Pronto-Socorro mesmo quando seus pequenos estão com sintomas graves e buscam atendimentos apenas quando o quadro dos seus filhos já está avançado. Nesses casos, ficar em casa pode ser um risco maior para a saúde das crianças do que sair para buscar tratamento.

Com a suspensão das aulas nas escolas, é natural que o número de infecções e traumas seja menor que o usual. Isso, aliado ao baixo número de casos graves de COVID-19 em crianças. Mas, as crianças continuam tendo doenças como câncer, diabetes e condições cirúrgicas como apendicite.

Os riscos envolvidos no atraso à procura pela emergência pediátrica podem ser muito maiores do que os riscos de uma infecção por COVID-19. Por isso, quando necessário, procure ajuda médica.

Fique tranquilo, pois estamos preparados para receber seu filho.

Fluxo no HCM

O HCM alterou os fluxos de atendimento no de pronto-socorro para garantir a segurança de todos os pacientes, com separação de crianças com sintomas respiratórios dos casos gerais. Assim, as famílias podem ficar mais tranquilas em relação à segurança de seus filhos ao visitar o hospital.

Além disso, estamos seguindo todos os protocolos de segurança do Ministério da Saude e Organização Mundial da Saude.

Fique atento a esses sintomas

Se seu filho ou filha apresentar qualquer um dos sintomas listados abaixo, não hesite em ir ao hospital.

• Recém-nascido ou bebê que está muito quietinho, molinho ou sem reação, com dificuldade respiratória, sugando seio materno de maneira fraca ou até mesmo ausente, apresentando sangue nas fezes ou vomitando em grande quantidade, se ficar roxinho (cianose) ou muito amarelo (recém-nascido com icterícia), ou se tiver febre (acima de 37,8º) ou queda de temperatura (abaixo de 35,5 / 36º) deve ser levado ao Pronto-Socorro o mais breve possível.

• Quadros respiratórios associados a cansaço, crises de sibilância (chiado no peito) e hipoatividade.

• Febre persistente por mais de 48h

• Diarreia: a maior preocupação é quando a criança fica desidratada. Os sintomas mais comuns da desidratação são lábios e língua seca, diminuição e escurecimento da urina, diminuição da elasticidade da pele, olhos fundos e diminuição das atividades da criança. Observe também se o problema não vem acompanhado de vômitos persistentes, sangramento ou catarro nas fezes. 

• Quadros alérgicos: surgimento de manchas nas pele e coceira associada à dificuldade para respirar, tosse rouca, chiado ou inchaço nos lábios e garganta.

• Dor abdominal: persistente ou com piora progressiva; ou súbita e de forte intensidade; acompanhada ou não de vômitos e distensão abdominal.

Cortes e quedas: depende muito do tamanho da lesão e da quantidade de sangue perdido. É importante ficar de olho se, após um tombo, a criança manifestar sonolência, vômitos, dor de cabeça, abatimento ou qualquer anormalidade.

Convulsão: se a criança sofrer convulsão, os pais têm de procurar auxílio médico imediatamente.

Intoxicação: sempre vá diretamente ao hospital. Não provoque vômitos e tente pegar o rótulo do produto para fornecer ao médico detalhes que poderão ajudar no tratamento.

• Trauma ou torção que evolui com dor, aumento de tamanho e/ou deformidade dos ossos e articulações. Infecção da articulação, apresentando dor, dificuldade em caminhar, febre, dificuldade para mover um membro ou prostração.

 

 

Atendimento 24h

 

Contato de Emergência

 

Recepção da Emergência Pediátrica: (17) 3201-5000 - Ramal 3007